FAQuiu

domingo, 31 de julho de 2011

0 comentários
Leia e/ou cale-se.

Porque "Ignes Elevanium"?
Ignes Elevanium, em latim "Chamas Ascendentes" fora criado/obtido cosmicamente pelo nosso chefão Alexandre Ferreira (AlxSeth).
Agora, o porquê destas palavras ou mesmo em qual contexto ele se referia, nós não sabemos.
Morreremos com esta dúvida.

Como e quando o blog surgiu?
O Pignes foi criado em 2007, por volta de Abril, por AlxSeth e Silence (ou talvez outros) que eram até então frequentadores do fórum Metal4ever. A intenção era compartilhar livremente a música, mas somente aquilo de que gostassem e tinham vontade. Característica esta que é mantida até hoje

O que é "Pignes"?
Obviamente é a junção de Pig com Ignes, mas me disseram que foi aleatório, então não condeno ninguém.

***vamos começar a esquentar isso aqui***

Porque o blog parou de postar metal? O blog era de metal, não era? Vocês viraram indies? Viraram evangélicos? Que porra é essa de hip hop?
Bom, esta é uma boa pergunta (na verdade é bem idiota, mas tudo bem) e precisa de um texto maior.
Antes de qualquer coisa é importante reforçar o seguinte: O blog, apesar de ter iniciado com posts de heavy metal e J-rock pelo AlxSeth e outros poucos colaboradores existentes na época, nunca se mostrou como um blog exclusivamente headbanger. O espírito tr00 que aqui rondava era simplesmente fruto da nossa fase naquela época. Garotos descompromissados, punheteiros, que se identificavam com tribos urbanas, onde boa parte adorava ser visto como excluído da sociedade e falar asneiras no MSN. Mas as coisas mudaram, ganharam compromissos, responsabilidades sociais, faculdade e sobre tudo amor pela música, onde os estilos musicais são coisas secundárias.
Não levamos a sério suas críticas dizendo que 'rap é uma bosta', pois um dia, (in)felizmente, já passamos por esta mesma fase, ou por algo parecido, e hoje vemos nada mais que uma repetição.
Hoje gostamos de muitas coisas, e, consequentemente, postamos muitas coisas.
Não queremos eliminar o heavy metal do blog, assim como não vemos o porquê de não trazer para cá outras coisas que gostamos como música eletrônica, samba ou hip hop. Se o metal não está em evidência neste blog é porque provavelmente não o ouvimos com tanta frequência e, como já disse, nós postamos aquilo que nos agrada, e foda-se se uns ou outros não gostam.
Mas somos bonzinhos, mesmo com degradações e pouco apoio, e eventualmente procuramos alguém que queira postar coisas mais pesadas ou clássicas, como o supracitado metal, o punk, estilos de sufixo 'core', a obscuridade de certos gêneros da música eletrônica, erudita, etc. Mas, MAS, M.A.S. nunca aparece um ‘banger’ que saiba escrever razoavelmente bem (e depois acham que o mundo é que conspira contra eles) e que tenha ao menos um gosto musical interessante que vá além das mesmices manowar, whitesnake, iron maiden, ac/dc, nigthwish, cannibal corpse, rammstein, ...
Ou seja, o convite está aberto. Ouve metal, hard rock, punk ou hc? Então mande duas resenhas para nosso e-mail, de quaisquer discos, que a gente analisa. Mas vale lembrar que farofadas genéricas a gente barra MESMO.

Então isso significa que vocês só querem novidades, nada de bandas clichês? O que tem contra os clichês? E quanto às resenhas, só entra quem já escreveu ao menos um livro na vida?
Pelo contrário, ou melhor, tem uma ponta de verdade nisto. O blog se destaca hoje e sempre principalmente pela diversidade e por trazer bandas pouco difundidas. Temos o prazer de fazer isso, trazer para o pignes, um blog bem acessado, bandas que talvez vocês nunca imaginassem existir. Mas não ignoramos os clichês, tanto é que algumas das bandas citadas aqui estão entre as maiores execuções de alguns de nossos colaboradores e são cotadas para serem postadas em modo discografia. O que não gostamos é da mesmice, da repetição, pois elas nos causam tédio. E isso ocorre com enorme frequência em dois segmentos: no Heavy Metal que tenta parecer fiel 'às origens' e no Metalcore, que no seu 'booom' criou em massa várias bandas.
Isso mostra bem como o metal é visto do outro lado da janela. Bem semelhante ao que você diz sobre o rap, não é?
Sejam gêneros 'puros', avant-gardes, experimentalismos, etc, tudo tem espaço aqui, menos aquilo que não gostamos.
Quanto às resenhas, é até babaquice reclamar, levando em conta as verdadeiras imaturidades que escrevíamos antigamente. Não tem nem como comparar. Porém, respondendo (não basta eu falar sozinho, tenho que escrever um faq), não precisa digitar uma crônica, basta por em prática aquilo que aprendeu na escola/em casa. Se não aprendeu nada na escola, sinto muito, está fora.

Vocês estão estragando o blog que o Alx criou!!
Realmente, o blog mudou pra caramba desde sua criação, porém veja os últimos posts do próprio Alx e repense no que você acabou de dizer.

Gostava mais dele antes, quando era igneselevanium.blogspot.com. Vou ir para outros blogs!!
Boa viagem!!

*** Espero que os mais 'indignados' tenham entendido, ou ido embora. Agora a parte light***

Porque tem muito link off?
Porque eles não duram pra sempre (tum-dum-tzz), e como temos muitos posts acabamos por termos dificuldades em restaurá-los. Atualmente contamos com um colaborador somente para reupar posts off, além de alguns Adms que também se comprometem a isso, mas é um processo extremamente lento.
Quem quiser ajudar, pode se oferecer como REuploader. Não precisa de resenha nem nada, mas o avaliaremos ainda assim.

Posso mandar somente os links e resenhas sem ser membro do Pignes? Não tenho muito tempo livre.
Até pode, mas teríamos que passar algumas instruções. Mande-nos um e-mail dizendo que deseja ajudar.

Porque posts antigos, mesmo com a tag "/Ex-membros" possuem a foto do Koticho?
Isso é uma consequência da falta de experiência ao lidar com um dos momentos mais tenebrosos deste blog, que ocorreu em 2010 (entre janeiro e fevereiro) quando o mesmo foi deletado sem nenhum aviso prévio (embora seja claro o motivo). Por sorte tínhamos algum backup, mas não recente o bastante, o que nos fez perder algumas postagens. Tal backup fora restaurado pelo Kot, mas como o novo blog era recém-criado e só tinha ele e o Alx adcionado até então, o resultado foi este que estão vendo: Um monte de post que não era do Koticho sendo associado a sua imagem.
Infelizmente (tanto para com o blog, para com os ex-upers, para com alguns atuais (como o Forba, que também teve seus posts associados à outra pessoa) e principalmente para com o próprio Kot, pois certamente não está feliz em ver sua imagem vinculada com posts de Hard rock e outras coisas que não são de seu feitio :B) não vemos uma solução rápida para isto. A única seria apagar tudo que está em Ex-membros, restaurar algumas coisas que julgarmos legais (pois os autores originais já não se encontram e temos nossos próprios gostos) e obrigar os colaboradores atuais para que façam o mesmo com seus posts afetados.

Falando nisso, tinha um tal de MMX aqui, não era? Aquele que disse ser o novo Adm, com um cosplay ridículo de subzero misturado com algum personagem de Naruto?
Opa, esse cara é inesquecível. Talvez ele não tenha recebido tantos agradecimentos, mas ele foi o cara que ajudou a erguer essa bagaça novamente. Ele basicamente entrou só para isto, mas foi o bastante, pois graças a ele outros resolveram deixar a preguiça de lado e correr atrás do prejuízo.
Obrigado, Samuca! (ps: aquela foto era realmente feia :B)

Porque não postam somente no Mediafire? Não sabem que ele é o melhor?
Só se for melhor na terra dos pôneis malditos. Dizem que os números não mentem, mas vou te dizer outra coisa que não mente: Nossos posts antigos. Sim, pegue alguns raros posts de 2008 e 2009 e veja, se tiver ao menos um link on, eu lhe garanto que este será MegaUpload.
O MU é sem dúvidas o melhor, ao menos entre os mais conhecidos, pois na maioria dos casos consegue manter nossos links por mais tempo. Mediafire e 4Shared também são bons, mas não duram tanto quanto.

Mas MegaUpload não pega aqui, tenho IP fixo/internet compartilhada...!
Velho, procure algo na net, sempre tem algo pra burlar isso. Não vamos parar de usar o MU, pois como já disse, é o melhor até o momento. Apesar disto sempre tentamos hospedar em dois ou mais servidores, então paciência.

Porque vocês não postam com mais frequência?
Porque você não cria um blog e tenta publicar 5 posts diários com resenhas, uploads e etc, além de manter-se num emprego e passar horas estudando? Teste aí por uns 4 anos e depois nos diga como foi.

POSTA METAL PORRA!!
_|_

LastFM, Scrobble, Tags e macetes

sexta-feira, 22 de abril de 2011

4 comentários

Não dá para negar como estes sites, assim como a própria internet, facilitam nossa vida, e nos garantem novos vícios. Temos redes sociais além das convencionais, como Filmow para filmes, Orangotag para séries, LastFm para músicas, e assim por diante.

Aqui vou esclarecer um pouco sobre o LastFM, como usá-lo, o que é um scrobble e demais dicas que não vemos com tanta facilidade por aí.
Focarei mais nas dicas, prevenções e correções de problemas, já que o funcionamento do LastFM já fora discutido em muitos lugares, inclusive no próprio site que tem suporte à língua portuguesa e possui fóruns de discussão.

Lá mesmo (http://www.lastfm.pt/about) tem um pequeno texto sobre o que é o site. Também conta com um FAQ (http://www.lastfm.pt/help/faq) e fóruns.


1 - Scrobbling

1.1- Funcionamento
Sabendo-se que o software LastFM (scrobbeR) registra QUASE tudo que você ouve no seu player/aparelho (wmp, winamp, itunes, ipod,...) e envia estes dados para o servidor da Last.FM e que, são mostrados mais tarde no site, tanto no seu perfil, como no do artista, as faixas que ouviu, a quantidade de vezes e a que horas, temos somente que entender o porque de que ele QUASE registra tudo.

Em primeiro lugar, tenha em mente que você fez tudo correto, como descrito no site, para que o scrobble ocorra sem problemas.

1.2- Tags ID3 e metadados
Em segundo, saiba que o scrobbler não faz milagres e você precisa manter suas músicas sempre organizadas. Quando digo organizadas, não me refiro à ordená-las e separá-las em pastas (apesar de altamente recomendado), mas sim organizar as tags ID3 (e outros metadados) de cada música (saiba o que é ID3 http://pt.wikipedia.org/wiki/ID3).

O scrobbler possui tecnologia capaz de identificar o artista, álbum e título de uma faixa mesmo sem tags, porém além de usar mais CPU, este processo não é 100% seguro, podendo não enviar suas execuções para o site  e/ou enviar com informações erradas.

Mas tudo isso é mais fácil de resolver do que se imagina. Existem aplicativos que servem para fazer esta tarefa chata, muitas vezes em massa (selecionando um álbum todo, todas as músicas de um artistas, etc), agilizando MUITO a organização.

Fizemos dois tutoriais, de diferentes autores e diferentes programas, que são eles: TagScanner e Tag&Rename (veja aqui http://wikipig.blogspot.com/2011/04/organizando-suas-musicas-com-softwares.html)

Clique para ampliar

1.3- Nomes em japonês (e outras línguas)
Em geral, é preferível que os títulos fiquem em japonês mesmo, no idioma original da banda. Os títulos das faixas, eu prefiro manter em romanji (http://pt.wikipedia.org/wiki/R%C5%8Dmaji), até pela possibilidade de poder ler e memorizar, já que não falo japonês. Mas o nome do artista, sempre (ou quase sempre), deixe em japonês, pois o perfil da banda no Last.FM será criado em sua língua natal.
Exemplo: O perfil da banda Onmyo-Za é 陰陽座 (clique)// O perfil da artista Maaya Sakamoto é  坂本真綾// Do MUCC é ムック// e assim por diante.
Porém existem exceções, claro, como Dir En Grey que é Dir En Grey mesmo. MERRYD'espairsRay e DEATHGAZE são outros exemplos, apesar que neste último também possui um perfil no nome デスゲイズ, mas com bem menos scrobbles, já que a banda sempre usa 'deathgaze' como padrão.

Renomeando seus artistas para seus nomes originais você evita que as execuções de um mesmo artista sejam divididas em vários perfis, como vemos com tanta freqüência no Last.FM. Um exemplo disto é a banda ギルガメッシュ(Girugämesh) que já fora cadastrada como: GirugamëshGirugamesh (ギルガメッシュ)GirügameshGirugamesh[???????]ギルガメッシュ~Girugamesh~, e acredite muitos outros.

Você pode fazer isso usando aquele mesmo tutorial acima (TagScanner e Tag&Rename), no caso, copiando o nome em japonês e colando no programa no campo artista (ou atualizando via internet, desde que atualize com o nome correto).

Entretanto existe um macete que eu uso. Se você simplesmente renomear para japonês (Kanji, Hiragana, katakana, etc) será quase impossível de encontrar este artista na sua biblioteca de mídia rapidamente. Para isso é que diferencio as tags Artista/Artista participante de Artista do álbum.

Em Artista participante coloque o nome em kanji, já em Artista do álbum, em romaji, ou em outra linguagem que a banda utilize (normalmente inglês) para facilitar a divulgação fora de seu país de origem. Fazendo desta forma, você poderá digitar no campo de busca o nome da banda que nós ocidentais entendemos, por exemplo: Onmyo-Za. Porém este não será o nome enviado para o LastFM ao ser executado, mais sim o do artista participante, que neste caso seria 陰陽座.

Em geral isso vale para muitos outros idiomas ao qual não entendemos, como russo, ucraniano, etc.

ExemplosРусичі, banda ucraniana cujo nome para nós fica Ethnic. Ou Димна Суміш, banda também ucraniana que ficaria Dymna Sumish. Porém também existem exceções, como no caso de ФСБ, banda búlgara que APARENTEMENTE usa como padrão o título FSB (aliás, todas estas são ótimas indicações e para gostos diferentes).

Aconselho que você instale vários pacotes de idiomas. Normalmente eles já vem no CD de seu Windows (ou outro), mas também podem ser baixados no site da Microsoft e/ou atualizado diretamente pelo Windows Update.
Este pacote são necessários para visualizar corretamente nome de arquivos, textos, sites, etc, que estejam em outra língua, ou seja, usando caracteres diferentes.

ampliar

1.4- Vários Artistas
É comum depararmos com este nome (coletâneas, tributos, covers, OSTs), que pode ser representado ainda como Various Artists, V.A., Various, etc. Entretanto, Vários Artistas é artista nenhum, pois somente indica que o álbum, ou faixa, pertence a dois ou mais músicos.

Usando a mesma lógica dos nomes em japonês, para evitar que o scrobbler envie VA ao invés do artista real para o LastFM, basta renomear Artista participante para o nome do artista daquela faixa e em Artista do álbum, o nome Various Artists (de sua preferência).

Assim seu scrobble será perfeito e você garante a integridade da informação de seu álbum, que não deixará de conter várias participações, mas que também atribui um artista para cada música. Sem contar que você evita isto, isto também, mais isto e outra vez isto.

Sempre use como fonte de dados a Wikipédia, Metal-Archives, Amazon, endereços oficiais da banda (site, blogs, myspace, palco mp3,...) e até o próprio Last.Fm.

Mas porque não renomear ambos com o nome do artista?
Bom, no caso do Windows Media Player, se você atribuir vários nomes ao Artista do álbum, mesmo que sejam do mesmo álbum, o player dividirá este em vários 'singles' (parecido com essa imagem).


Qualquer dúvida, sugestão, comentem. Tentarei responder e/ou redirecioná-los a algum fórum.

Tag&Rename e/ou TagScanner

2 comentários
Cá trazemos dois tutorias para dois softwares diferentes onde você poderá organizar suas músicas e pastas. Editores de Tag, Gerenciadores de músicas, seja lá qual o nome recebem, eles não só ajudam este trabalho chato como resolvem o problema de álbuns sem informações (como títulos, gênero, ano, capa, ordem errada, etc), principalmente para pessoas como nós que possuímo muitas, mas muitas músicas.

Tais programas podem: Renomear/corrigir nomes de arquivos de música || Renomear/corrigir nomes de tags das músicas || Várias possibilidades de obter informações de um álbum, incluindo online || Renomear pastas à partir da tag das músicas || Salvar tracklist em vários formatos, incluindo m3u (playlist), txt e html || Modificar muitas músicas/todas ao mesmo tempo || Embutir letras de música (alguém teria paciência para isso?) || Muito mais

Antes saiba que: Renomear título é diferente de renomear arquivo de música. Título é o nome que aparece quando você executa uma música (ou aquela que aparece no MSN, no MP4, etc), já o arquivo de música é aquele que contém, normalmente, a faixa + o título da música, seguida de .mp3 (Ex: 01 - Mandrake.mp3). Renomeando o título, seu scrobbler enviará o título correto para o LastFM. Já ao renomear o arquivo, suas músicas ficarão organizadas dentro da pasta, ou seja, ficará visível no Windows Explorer em ordem numérica (faixas).


Tag&Rename por Iandrade

ampliar
Portable Tag&Rename v3.5.2 (http://www.megaupload.com/?d=TZRRGU7Z)

Baixou o .rar? Extraia a pasta e execute o programa. Certamente aparecerá uma caixa perguntando se você quer baixar a nova versão. Fica a seu critério. Eu estou fazendo este tutorial baseado na versão que disponibilizei, embora ache que não mude muita coisa de uma versão para outra.

A primeira coisa que fará é ir na aba lá em cima, Multi File Tag Editor. Nessa aba, você poderá consertar os nomes da banda, do álbum e o ano deste, próprios a todos os arquivos da pasta. Ah, sim: na verdade, a primeira coisa que você fará é selecionar a pasta (álbum) que você quer arrumar, no canto inferior esquerdo. Feitas essas duas etapas, clique em “Save Tags” e pronto: banda, álbum e ano ajeitados. Claro, você só precisará renomeá-los caso haja algo errado.

Seguindo, vamos para a aba Rename Files. Enxerga o botão “Mask Editor”? Pois então, ali você escolherá o padrão de organização do nome dos seus arquivos, baseado nas suas tags. Antes de renomeá-los, confira os nomes das músicas e o que mais tiver para conferir na caixinha inferior, onde está a sua pasta aberta. Utilize wikipedia, sites oficiais, last.fm para ratificar os arquivos, suas tags e tudo mais. Feito isso, clique em Preview para ver como tudo ficará e, se concordar, Rename.

O código do meu File Name Mask é “%1 - %3 - %8. %2”, que equivale a “<Artist> - <Album> - <File number>. <Title>.mp3”. Assim, meus arquivos ficarão dessa maneira, por exemplo:

PJ Harvey - Let England Shake - 01. Let England Shake
PJ Harvey - Let England Shake - 02. The Last Living Rose
PJ Harvey - Let England Shake - 03. The Glorious Land

Ok, embora pareça complicado, fazer isso demora menos de 1 minuto, uma vez que você não precisará configurar o programa toda vez que abri-lo. Tudo já estará pronto depois de configurado, você apenas terá que confirmar as tags e clicar em Rename. Pronto. Simples e prático.

Particularidades minhas: costumo apagar os gêneros e deixar esse campo sempre vazio, faço o mesmo quando vejo algum comentário nos arquivos. Sempre que possível, boto a capa e a parte de trás dos álbuns dentro das pastas, que seguem esse padrão de nomeação: “[2011] Let England Shake”. Quando se trata de um álbum de dois ou mais CDs, crio uma pasta para cada dentro da pasta do álbum. Apesar disso, nas tags, o nome do álbum é um só, sem “CD1” ou “CD2”, por exemplo, finalizando-os.


TagScanner por Damien

ampliar
TagScanner (instalador ou portable) (http://www.xdlab.ru/en/download.htm)

Abra o programa e clique em Procurar, lá em baixo (ou Ctrl+O) e escolha a pasta desejada (pode ser uma ou toda sua biblioteca, porém demorará mais para carregar dependendo da quantidade).

O funcionamento é parecido com a do Tag&Rename, pois basta selecionar um álbum todo e modificar as informações de várias faixas, como nome do álbum, ano, gênero, compositor, artista, capa, e outros, além de poder selecionar faixas separadamente e modificar o título uma por uma. Porém irei destacar algumas funcionalidades que me ajudam demasiadamente.

Acima existem quatro abas. Music Renamer, que serve para renomear o nome do arquivo (%track% - %title%), semelhante ao Tag&Rename. TAG Editor, que é onde você passará a maior parte do tempo, pois é onde se edita o nome do artista, álbum, gênero, etc. TAG Processor é um diferencial, pois nele você pode buscar informação online, ou seja, você seleciona o álbum inteiro e procura em 4 servidores (Tracktype, FreeDB, Amazon e Discogs), agilizando pacas o trabalho que você teria. Claro, nem sempre você encontrará, ainda mais para álbuns extremamente undergrounds, raros, independentes e nacionais. Ainda nesta aba você poderá atualizar as informações de seu álbum através de arquivos de texto (txt) ou arquivos tabelados (csv) (mas deixemos isso pra outro dia). E por fim List Maker que salva uma playlist do álbum em vários formatos, como txt, csv, html, xml e m3u (padrão), bom para quem utiliza playlists e/ou quer fazer um backup das informações de cada álbum.

Vou focar só nas abas TAG Editor e TAG Processor.

Selecione TAG Editor e note que o programa é todo em português, sem contar que ao passar o mouse nos botões, lá de baixo de Procurar, aparecem os nomes, que dão uma idéia para que cada um serve. Ignore a janela à direita, pois está claro para E como serve. Lá em cima, abaixo da aba, existem algumas opções que costumo usar: Mover para baixo (Alt+Down) e Mover para cima (Alt+Up), muito úteis quando um álbum aparece no TagScanner desorganizado (ex: faixa 5 antes da 4). Basta clicar na faixa e dar Alt+down/Alt+up (ou clicar nas setas). Isso não afetará em nada suas músicas, mas é importante que você deixe as faixas em ordem para poder trabalhar, principalmente se for usar a aba Tag Processor, que se usada de modo errado, pode atualizar seu álbum de forma errada, como por exemplo renomeando o título da faixa 5 pela da 4 e vice versa. Como resultado você ouvirá a música 5, mas com outro título, confundindo a você mesmo.
Ao lado temos uma seta curva, que é nada mais que o aclamado Ctrl+Z, caso faça alguma besteira.

Em Tag Processor, selecione um álbum (pegue um famosinho como teste) e clique em Pesquisa a sua direita. Poderá aparecer um ou vários álbuns logo abaixo. Preste atenção se ao lado de Pesquisa aparece mais de um resultado (Ex: Encontrada(s) 4 entrada(s) no banco...). Caso não apareça, mude o Serviço. O FreeBD e o TrackType funcionam da mesma forma. Já o Amazon e o Discogs mostram uma lista (caso encontre mais de um) com álbuns e seus encartes. Neste caso, você precisa colocar o nome do álbum no campo da pesquisa, e depois abaixo, clique na setinha preta que aparecer ao lado do álbum para expandir. Confira se está tudo ok (você pode clicar em Visualizar primeiro) e clique em Salvar. Muitas vezes irá aparecer um álbum sem setinhas. Nunca use ele, pois normalmente são singles, e não ajudarão em nada.

Jamendo

sexta-feira, 18 de março de 2011

0 comentários
Um dos maiores sites de distribuição de música livre, o Jamendo garante aos músicos um espaço gratuito em troca da liberação de suas músicas para download no site. Mas o que as bandas ganham com isso? Além da divulgação, item extremamente importante para a sobrevivência de qualquer banda, o Jamendo oferece um sistema de recompensas distribuindo 50% de tudo que ela lucra com publicidade interna, ou seja, aquelas propagandas e anúncios que vemos na maioria dos sites.

Download
Para baixar no Jamendo é preciso cadastro. Após ter sua conta, você poderá navegar pelo site através de tags (procurar músicos por estilos musicais), ou diretamente por bandas e álbuns.

[+]ampliar
Pegue o projeto Main Dish e vamos começar. Sua página no site é http://www.jamendo.com/en/artist/Main_Dish, onde podemos ver alguns álbuns disponíveis para download. Clique em qualquer um e verá que uma nova página menor se abriu. Basta clicar em Download e esperar a descarga.

Muito simples.

BandCamp

0 comentários
Em suma, ele é o novo grande pontapé para bandas de qualidade que desejam — e necessitam — ter um espaço na Internet sem se preocuparem e sem gastarem (ou gastarem muito) com isso. Assim dizem em seu site: "They host your tunes, and in exchange it's their logo, their ads, their URL, their traffic, their identity.".
A hospedagem das músicas garante tanto seu streaming como sua distribuição via download. Tal download pode ser gratuito, pago, ou depender de seu formato digital. Os formatos disponibilizados vão desde AAC e OGG Vorbis, os menores, passando pelo MP3, até chegar nos lossless, como FLAC e ALAC. Os Metadados já vem organizados. Também existe a possibilidade de compra/venda de material físico, ou seja, CDs palpáveis. Ainda, opções para que a página seja compartilhada em diversas redes.

Está em dúvida quanto a sua integridade e competência? Bom, não serei eu a lhe responder isso, mas sim eles: http://bandcamp.com/artists

Mas este post foi feito para os fãs/eventuais fãs, e não para as bandas (na verdade existe um FAQ enorme que pode ser lido aqui), então vamos ao que interessa.

Download
Bom, pegando o artista Judd Madden como exemplo: após ter sido postado no Ignes Elevanium, você clicou em Download e fora redirecionado ao endereço http://juddmadden.bandcamp.com/. Até aqui, nenhum problema, pois como podem ver, um Free Download está bem ali, pedindo pra ser clicado. Mas ao clicar abre-se uma janela com vários tipos de formatos e pedindo alguns dados seus, como e-mail, país e cep. Mas isso não é problema algum, e é preferível que você coloque seus dados reais. E-mail serve para que você confirme o download, então não adianta colocar um que não seja o seu. País é simplesmente para saber de onde fazem os downloads, uma boa forma do site, e do artistas, terem uma noção de expansão de seus nomes, onde seu público é maior, etc. Mas e CEP? A mesma coisa. Não existem motivos reais para inventar um CEP, eles também são importantes, destacam as regiões de onde partem os downloads.

[+]ampliar
Preenchendo corretamente e clicando em OK, você reberá um e-mail, no qual consta um link para poder baixar o material requisitado. Apesar de parecer burocrático, não é, e tão pouco difícil.


Nós apoiamos totalmente este modo de compartilhamento e divulgação, portanto, não adianta pedir link 'extras', não iremos atender ao seu pedido. E ainda fazemos um apelo: Se você, visitante, ou blogueiro, quiser divulgar estes artistas, por favor, mande o link do BandCamp (ou outro oficial), pois só assim ele poderá ter noção da sua popularidade da rede, e, dependendo do serviço, ganhar uns trocados com seu download (mesmo que para você ele seja gratuíto).

Mas nem tudo é um mar de rosas, aliás, eu odeio rosas. As vezes, um artista só libera seu material através de pagamento, e aí não temos o que fazer (sim, temos o que fazer, procurar um link de outro lugar, ou melhor, comprarmos este disco e disponibilizarmos para vocês). Contudo, não deve se deixar levar pelas aparências... calma, eu já explico.
Por vezes, ao entrar em um perfil no BandCamp, nos deparamos com um Buy Now ao invés do lindo Free download, MAS, não feche a janela. Desta vez usarei a banda Fura (http://fura.bandcamp.com/) como exemplo. Como podem ver, o Buy Now está ali, não dá pra saber quem está olhando mais feio pra quem, se é você pra ele ou o contrário, mas vamos abrir sua página ao invés de só julgá-lo pela capa. Note que este possui um espaço para se colocar um valor, assim são as versões pagas dos discos, porém deve-se atentar ao valor mínimo, que neste caso é: "EUR (no minimum) ". Sim! Exato! Não existe preço mínimo, ele é zero, então o que fazer? Clicar Checkout e ser feliz? Sim, mas só depois de colocar um valor. "Mas pera aí, você disse que é 'di gratis'". Sim, mas antes de me bater, coloque um 0 (zero) e aí sim clique no Download que aparecer.


Neste caso também colocaremos o link do BandCamp, pois por mais que ele peça que se pague alguma quantia, o valor nulo não foi ignorado, possibilitando downloads gratuítos.